emprestimos

Como fazer um empréstimo?

como fazer um emprestimo
como fazer um emprestimo

Como fazer um empréstimo?

Depois de uma crise financeira que ainda não percebemos bem porque aconteceu e de uma crise económica que veio por arrasto, a verdade é que todos (uns mais que outros) vivenciamos mais ou menos as mesmas preocupações.

São os salários que não chegam até ao final do mês, é a ameaça do desemprego, é a reforma que já não sabemos se é garantida…

Na verdade todas estas questões preocupantes têm, hoje em dia, um crescente número de soluções: questionar para descomplicar!

Seja online ou num balcão, se precisa de fazer um empréstimo é um objetivo que tanto poderá revelar-se fácil de alcançar como altamente complicado, ou seja, depende sempre de dois fatores principais: situação financeira e pessoal.

Portanto antes de iniciar este processo e proceder ao pedido de empréstimo, pondere bem a sua situação atual, para que possa ter a perceção real de conseguir aquilo que pretende.

Pesquisar, Comparar e Estudar
Quanto mais conhecer detalhadamente a oferta das várias instituições do mercado, melhores bases de avaliação terá relativamente a todos os custos finais associados aquando do pedido do empréstimo.

Taxas (des)complicadas

Como fazer um empréstimo?

TAEG ou Taxa Anual Efetiva Global.

É por aqui, basicamente que, ao iniciar os termos de comparação para a aquisição do empréstimo a sua atenção deverá estar focada.

A TAEG entende-se como o custo total de um crédito ao consumidor.

É expresso em percentagem anual do montante do crédito obtido e inclui as despesas de cobrança de reembolsos e pagamentos de juro, bem como os restantes encargos obrigatórios a suportar (impostos, selagem, comissões e seguros associados).

Para a comparação aquando das várias simulações online deve utilizar como referência a TAEG, pois sendo uma taxa efetiva, reflete o custo total que irá ter com o empréstimo.

TAN, sigla para Taxa Anual Nominal.
A TAN é a taxa mais comum nos contratos de crédito firmados pelos bancos e restantes financeiras.

Resumidamente, consiste num modelo de pagamento de juros feito anualmente, onde por norma não estão incluídos os montantes referentes aos impostos ou outros encargos imputados ao consumidor.

MTIC nada mais, nada menos do que Montante Total Imputado ao Consumidor e corresponde ao valor total que vai pagar pelo seu empréstimo. Ou seja, a soma total dos custos do crédito que englobam capital, juros, comissões, despesas, impostos e encargos com o montante total do crédito concedido.

FIN ou Ficha de Informação Normalizada é um documento essencial que deve acompanhar qualquer contrato ou proposta de crédito entre uma instituição bancária e o seu cliente.

Através deste documento, consegue comparar diferentes opções e, assim, tomar uma decisão consciente e informada.

Como fazer um empréstimo?

A Ficha de Informação Normalizada tem como principal função informá-lo das condições e compromissos que passará a assumir: taxas, custos, seguros, planos de pagamento, entre outros.

Plano de pagamentos é um quadro onde é apresentado o valor de prestações, juros e seguros associados desde o início do empréstimo até ao último pagamento. Permite a quem solicita o crédito, o quanto estará em divida num determinado período.

Em suma: quanto mais o cliente conhecer em pormenor as propostas das instituições por um lado, e quanto mais der a conhecer os seus interesses e ambições a essas organizações, por outro, é mais fácil ambos conseguirem avaliar com precisão a viabilidade do empréstimo.

Como fazer um empréstimo?

É importante que esteja preparado com diversos documentos que, inevitavelmente, lhe irão ser pedidos.

Quanto mais e melhor preparado estiver, mais rapidamente todo o processo será iniciado; desta forma, para requisitar o seu empréstimo certifique-se de que possui toda a documentação e que esta se encontra devidamente atualizada.

De entre os diversos documentos que lhe poderão ser solicitados, referenciamos aqui alguns deles: cartão de cidadão, cópia do extrato bancário, declaração de IRS e os 3 últimos recibos de vencimento.

Em suma: considerar um empréstimo é uma decisão que deve ser estudada e ponderada, mas é também, sobretudo, recomeçar e dar uma nova oportunidade a si mesmo; é renovar as esperanças no futuro e acreditar que a partir de agora só pode melhorar!